x

Posso ajudar?

Posso ajudar?

Espondilose

Espondilose

March 16, 2018

 

A idade chega para todos e, com ela, alguns problemas também. Por mais que tenhamos os melhores cuidados com nosso corpo e mente, às vezes eles sofrem desgastes mesmo assim – e isso é normal e da natureza do ser humano.

 

Um desses desgastes é quando uma parte de nossa coluna falha em sua função, sobrecarrega outra e, assim, acaba afetando toda a estrutura. À essas falhas na estrutura da coluna damos o nome de Espondilose, e você conhecerá um pouco mais sobre a doença a seguir.

 

Espondilose é um problema na coluna vertebral causado pelo desgaste dos seus discos, o que gera a diminuição do espaço entre cada vértebra, ocasionando o famoso “bico de papagaio” e a sua dor característica. É uma doença degenerativa de caráter crônico e progressivo, ou seja, se não tratada pode comprometer os movimentos de alguns membros do corpo, como braços e ombros.

 

Por mais que a coluna humana possua 3 regiões principais, a doença é mais comum nas que são móveis, ou seja, a região cervical e lombar.

 

Espondilose Cervical

 

As vértebras cervicais fazem parte da região do pescoço e as que mais são afetadas pela doença são as 3 inferiores em nível C4-C6.

 

Espondilose Lombar

 

Esse tipo da doença se manifesta na parte inferior das costas, que carrega todo o peso do corpo, e as vértebras mais atingidas são em nível L5-S1. Entre as mulheres, as mais comuns de serem atingidas são as que estão entre L4-5.

 

Espondilose Dorsal ou Torácica

 

A região torácica da coluna, localizada bem ao meio das costas, é a menos atingida pela espondilose. Quando ocorre, normalmente não apresenta sintomas, por conta de sua menor amplitude de movimento articular. Mas, se apresentar, fique atento a dores locais e irradiações esporádicas para as costelas.

 

Quais as causas da doença?

 

As alterações na coluna características da espondilose podem ter várias causas, como o avanço da idade, sobrepeso ou por conta de trabalhos repetitivos. Abaixo, explicamos sobre alguns fatores que podem causar a doença:

 

Excesso de crescimento dos ossos
 

Com o enfraquecimento da coluna, alguns ossos podem sobrecrescer para tentar compensar a coluna, tornando-a mais forte. Porém, esse sobrecrescimento pode ocorrer em zonas delicadas da coluna, como a medula espinhal e os nervos, causando dor no indivíduo.

 

Desidratação dos discos
 

Os discos que compõem a coluna vertebral possuem um tipo de gel em seu interior e tem a função de absorver  choques de elevação, torção e outras atividades. Quando esse gel seca, o movimento das vértebras pode ser mais doloroso.

 

Hérnia de disco
 

O gel interno dos discos vertebrais pode vazar através de fissuras e, quando isso ocorre, pode haver pressão sobre a medula espinhal e nervos, resultando em sintomas como dormência no braço e no nervo ciático.

Lesões na coluna
 

Se você já sofreu algum tipo de acidente na coluna, muito provavelmente as sequelas irão acelerar o processo de envelhecimento da estrutura.

 

Rigidez nos ligamentos
 

Os ligamentos entre um disco e outro podem se tornar mais rígidos conforme o tempo, o que acaba afetando nos movimentos do pescoço.

 

Uso excessivo da coluna
 

Movimentos ou exercícios repetitivos, bem como trabalhos pesados, podem comprometer a função da coluna, pelo fato de exercerem pressão extra sobre ela, resultando em desgastes prematuros.

 

Os sintomas da Espondilose

 

O principal sintoma manifestante dessa doença é a dor intensa na região da coluna. Além desse, há outros sintomas que também se sobressaem:

  • Dor de ambos os lados da lombar, podendo irradiar para as nádegas e parte posterior da coxa;

  • Dor em volta do ombro;

  • Fraqueza dos músculos;

  • Dores de cabeça mais frequentes na parte de trás da cabeça;

  • Torcicolo;

  • Formigamento ou dormência de alguns membros, principalmente em ombros, braços e pernas.

Como é feito o diagnóstico

 

Se você possui os sintomas acima há mais de três meses, está na hora de visitar um médico especialista da coluna, que pode ser ortopedista ou neurocirurgião. Durante a consulta, ele irá te perguntar sobre os sintomas e realizar alguns testes clínicos, como teste de reflexo e a checagem  de deficiências nos músculos.

Além deles, outros testes podem ser solicitados pelo médico, como radiografia, tomografia e ressonância magnética da coluna.

 

Tratamento da Espondilose

 

Primeiramente, é preciso aliviar a dor. Sendo assim, o médico poderá receitar a você medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios, além de sugerir repouso intenso.

 

Após essa etapa, pode ser recomendada, também, sessões de fisioterapia ao paciente, para que a musculatura seja reforçada e diminua, assim, a instabilidade da coluna. Porém, se mesmo assim a dor continuar extrema e não ceder com o tratamento, a solução será se submeter a uma cirurgia.

 

Dentre as opções do tratamento cirúrgico, encontram-se:
  • Laminectomia (retirada das lâminas vertebrais);

  • Foraminotomia (abertura dos forames, abertura para a passagem de vasos e nervos entre os ossos);

  • Flavectomia (retirada do ligamento amarelo, localizado na face posterior da coluna);

  • Osteotomia (retirada dos “bicos de papagaio”).

Fonte: www.terra.com.br

 

Tags: "cérebro"

Please reload

Posts em destaque

Tratamento cirúrgico da dor crônica

October 2, 2018

1/10
Please reload

Recent Posts