x

Posso ajudar?

Posso ajudar?

O Sangramento da Ferida

O Sangramento da Ferida

Está no ar no Netflix um documentário entitulado “The Bleeding Edge”, traduzido para o português como “Operação Enganosa”. Está sendo bastante difundida em grupos “leigos” em redes sociais.

Em paralelo, notícia de quinta feira, 02 de agosto de 2018 informa que hospital é condenado por não informar ao paciente riscos de uma cirurgia.

 

O documentário, “spoilers” à parte, mostra relatos de complicações em três tipos de procedimentos cirúrgicos: implante de dispositivo nas tubas uterinas para esterilização; prótese de quadril com material contendo cobalto; e tratamento de insuficiência de assoalho pélvico com instalação de tela. Há críticas sobre a forma como esses dispositivos são autorizados junto ao FDA (que é agência que regula o uso de medicamentos, alimentos e implantes nos Estados Unidos, semelhante à ANVISA no Brasil). Também são criticadas as formas como são divulgados estes dispositivos mas, principalmente, são criticados as informações prestadas aos pacientes sobre as possíveis complicações do uso destes dispositivos. As complicações são demonstradas ao longo do documentário usando, como característica da mídia e do público alvo, um viés mais jornalístico e emocional do que científico.

 

Interessante verificar, baseado no documentário, quão mal informada é a classe médica sobre a natureza do rito de liberação de implantes médicos por esta agência, julgando seguir os mesmos passos da liberação de medicamentos. Conclui-se que as garantias de segurança e eficácia de boa partes dos implantes que utilizamos hoje em dia não são baseadas necessariamente em testes de longa duração e sim na comparação deles com produtos similares.

 

Desta forma, médicos são treinados com a premissa de que tais implantes são confiáveis e eficazes e transmitem esta informação a seus pacientes, muitas vezes com promessas de resultados muito além das expectativas possíveis e com previsão de complicações muito abaixo do que realmente seriam esperadas.

Obviamente, quando o procedimento mostra-se indubitavelmente ineficaz, rapidamente seu uso é abandonado pois claro, nenhum médico gostaria de vincular resultados ruins a seu currículo sabendo que este desfecho ruim é a regra. É o caso da Talidomida, por exemplo, retirada do mercado logo após concluir-se que gerava graves malformações fetais quando gestantes  a utilizavam.

 

Ocorre porém, que todo procedimento tem um risco, por mínimo que seja. Dizer que um procedimento é 99,9% eficaz significa dizer, literalmente, que pelo menos 1 em cada 1000 pacientes terá uma complicação. Em escala mundial, onde milhões de pessoas podem ser submetidas a  este procedimento significa que milhares de pessoas podem ter complicações relacionadas a este procedimento.

 

Neste ponto é que se vê a “Bleeding Edge” ou, literalmente o “sangramento na ferida”. Se o paciente é informado que um procedimento é 100% seguro e eficaz não há espaço para falhas, não há espaço para complicações. Isto abre espaço para processos. Quando se diz que um procedimento é 90% eficaz e as complicações ou limitações do procedimento são informadas, fecha-se as portas para qualquer litígio fundamentado em boa-fé.

Entendo que o médico de hoje precisa atuar como conselheiro e juiz de várias informações e variáveis do processo de tratamento. Devemos ajudar o paciente a perceber que nem sempre a inovação é a melhor alternativa. Muitas vezes  inovação significa “não suficientemente testado” e nem sempre o tradicional é ultrapassado. Por outro lado, devemos ser sinceros em definir as limitações das técnicas hoje disponíveis e apontar para o novo, a inovação, como uma potencial esperança. Desta forma, a pessoa que procura um atendimento, entendendo seu problema e as soluções disponíveis, pode ajudar a definir o próprio caminho de seu tratamento. O paciente tem o direito de ser agente de sua própria saúde e não objeto sobre o qual serão aplicadas técnicas. E é nossa obrigação, concordando com esta decisão do paciente, de ser responsável por esta conduta definida em conjunto.

 

Please reload

Posts em destaque

Tratamento cirúrgico da dor crônica

October 2, 2018

1/10
Please reload

Recent Posts